top of page
  • Foto do escritorESG Now

Do Compromisso à Transparência: Como Elaborar um Relatório de Sustentabilidade?


Há anos o Relatório de Sustentabilidade é um dos documentos mais importantes na comunicação de uma companhia sobre suas tomadas de decisões, conquistas, objetivos. É importante que tudo que esteja escrito nele seja o mais transparente possível.  


O Relatório de Sustentabilidade, está cumprindo seu papel como responsável por comunicar questões de responsabilidade social e ambiental. Ele auxiliou a desenvolver no mundo dos negócios o pensamento de sustentabilidade integrada e com o passar dos anos ganhou mais importância, destaque e complementos.  


O Global Reporting Initiative, também conhecido como GRI, teve seu início justamente para ampliar e fortalecer esse canal de comunicação, através da criação de desenvolvimento de diretrizes e padrões para a elaboração desses relatórios.  


Ao longo dos anos outras iniciativas embarcaram no processo de agregar com direcionamentos e questões imprescindíveis a serem respondidas através desse mesmo documento, como IFRS (International Financial Reporting Standards), SASB (Sustainability Accounting Standards Board, que integra o IFRS atualmente), TCFD (Task Force on Climate-Related Financial Disclosures) e até as ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável).  


Todas essas iniciativas que foram englobadas dentro de um Relatório de Sustentabilidade demonstra o peso agregado nesse material de comunicação e também a complexidade a qual ele tem. 


Então, por onde devemos começar a construção de um Relatório de Sustentabilidade?   

 

1ª Definição do Escopo e Objetivos 

Nesse momento vamos selecionar para quem vamos comunicar esse material, avaliando o ecossistema das partes interessadas, como mercado, acionistas, clientes, parceiros e outros mais. A delimitação de tempo e os recortes organizacionais também é imprescindível, para saber até onde será completude do relatório e das informações divulgadas.  


2º Quais os Dados Necessários  

Escolher os indicadores de desempenho relevantes para o seu setor e metas de sustentabilidade como o consumo de recursos, emissões geradas, práticas sociais adotadas, programas e projetos desenvolvidos, resultado financeiro e outras métricas relevantes. 


3º Envolver as Partes Interessadas 

Os dados e as informações que serão divulgadas vêm de inúmeras áreas da companhia, por isso avaliar internamente com os times a realidade dos dados, do momento do time, das metas do setor e garantir que as ações estão convergindo em objetivos consensuais da companhia é exatamente necessário para assegurar a transparência do relatório. Além disso, avaliar com as partes externas, quais sãos as suas preocupações e o que gostariam de entender é crucial para o sucesso da comunicação com o público-alvo. 

Nossos times de estratégia ESG trabalham há anos garantindo a integridade dos dados, KPI’s, objetivos e a comunicação, tudo isso pela integração em nosso software dos indicadores diretamente com as questões do GRI.


4º Estruturação e Tópicos  

Um relatório deve seguir um sumário onde passamos pela apresentação da empresa, a visão e missão. Explique também como a sustentabilidade é importante para ela.  

Outro tópico importante é o esclarecimento sobre a estratégia de desenvolvimento que está sendo adotada, tanto para as práticas internas como externas.  

Isso nos leva para o próximo tópico que são os desempenhos que ela obteve em esferas econômicas, sociais, ambientais e de governança. Esse desempenho deve ser esclarecido através dos projetos, programas e práticas que foram adotas, ou seja, as metodologias usadas para chegar aos resultados e como foi mensurado esse resultado. 

Outras avaliações de desempenho também podem ser agregadas, mas no mínimo essas citadas devem constar.


5º Preparo do Relatório: Escrita, Revisão e Validação 

A escrita de um material como esse é complexa, deve ter suporte de vários times e um bom prazo de execução pois serão diversas páginas e não se deve perder a clareza na contextualização ao longo dele. Por isso, no momento de revisão ter uma consultoria para suporte ou usar diversos times internos facilita na identificação de pontos fracos.


6ª Divulgação: 

Esse relatório deve ser de fácil acesso para qualquer um, então divulguem em mídias socias a sua publicação, deixe bem-sinalizado dentro do site da empresa e pode ser enviado diretamente ao público-alvo de interesse. Além disso a diagramação dele agrega muito na consolidação da história que está sendo contada.


Um ponto de atenção é que os padrões de relatório de sustentabilidade podem variar de acordo com as diretrizes específicas do setor e as normas globais de relatórios, como o Global Reporting Initiative (GRI) ou o Sustainability Accounting Standards Board (SASB). Certifique-se de aderir às melhores práticas relevantes ao seu contexto. 



Autor: Yuri Eduardo Bauer | Analista de ESG da ESG Now.

112 visualizações
bottom of page