top of page
  • Foto do escritorESG Now

Dicas Práticas para Empresas Iniciarem a Implementação de Medidas ESG em Suas Operações 

A cada dia, as preocupações ambientais, sociais e de governança (ESG) ganham destaque nas discussões dos conselhos empresariais. O acesso à informação permitiu que consumidores, investidores, acionistas e órgãos regulamentadores compreendam mais facilmente os impactos potenciais nas esferas ESG, tanto positivos quanto negativos. Assim, implementar medidas ESG não apenas atende a essas crescentes expectativas, mas também contribui para o desenvolvimento sustentável a longo prazo. 


Primeiro Passo: Avaliação Inicial 

Saber onde se está é crucial para determinar a direção a seguir. Realizar uma avaliação por meio de análise setorial, benchmarking com empresas do mesmo ramo, avaliação do conhecimento dos colaboradores e mapeamento interno das operações que fortalecem a empresa e suas fraquezas são essenciais. A Equipe da ESG Now apoia seus clientes nesse processo de descoberta e entendimento. Nesse contexto, a construção de indicadores, metas e objetivos de ESG se torna mais fácil. Além disso, o comprometimento da diretoria e do conselho administrativo, vital para a integração eficaz dos esforços ESG em toda a empresa, será mais favorável com base na maturidade da análise. 


Segundo Passo: Criação de Metas e Objetivos 

Para estabelecer metas e objetivos, é necessário identificar a situação atual, desenvolver projetos, firmar parcerias e criar políticas claras e orientadoras para as práticas ESG da empresa. Esse é um esforço significativo, especialmente para transformar essas ações em resultados tangíveis. As políticas devem guiar as práticas ESG da empresa, enquanto os projetos terão mais impacto quando baseados nessas políticas, instruindo as equipes envolvidas. Estabelecer metas mensuráveis e prazos realistas permitirá à empresa avaliar seu progresso e demonstrar transparência aos stakeholders. 


Terceiro Passo: Desdobramento de Metas na Cadeia de Suprimentos 

A cadeia de suprimentos desempenha um papel crucial nas práticas ESG de uma empresa. Colaborar com fornecedores que compartilham os mesmos valores sustentáveis é essencial. Além disso, implementar critérios ESG na seleção de fornecedores e exigir relatórios transparentes ajudará a criar uma cadeia de suprimentos mais responsável. 


Quarto Passo: Comunicação por Meio de Relatórios 

Cada vez mais, há relatórios, guias, frameworks e standards para os reportes de sustentabilidade. No ano passado, a CVM (Comissão de Valores Imobiliários) anunciou a adoção de dois guidances norteadores da IFRS (International Financial Reporting Standards Foundation) para o reporte de finanças sustentáveis, obrigatórios até 2027, com a opção de publicação a partir de 2024. Isso amplia o escopo de relatórios que as empresas terão que elaborar a longo prazo, incluindo GRI, CDP e outros, sem mencionar os relatórios para órgãos legais, certificações, clientes e fornecedores. 


A construção de relatórios para qualquer stakeholder é possível com o software ESG Now. Além disso, padrões do GRI e SASB podem ser respondidos vinculando as metas e indicadores criados pelos clientes para o gerenciamento ESG dentro do software, facilitando o processo de relatório. Com gerenciamento fácil, consolidação de dados em um único local e a capacidade de vincular tudo aos relatórios ESG de interesse da empresa, essa abordagem é altamente viável. Para saber mais sobre nossa solução e o apoio que oferecemos na jornada em ESG, entre em contato conosco! 

 

 Autor: Yuri Eduardo Bauer | Analista de ESG da ESG Now.

19 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page